Aikidô – A Arte da Paz

Esta arte marcial foi criada essencialmente para ser utilizada como um recurso de defesa pessoal e o seu objetivo principal é evitar qualquer tipo de confronto. A melhor maneira de fazê-lo passa por neutralizar os ataques dos adversários, devolvendo a força que é empregada nos seus golpes contra eles próprios.

No entanto, a sua natureza pacífica não deve ser confundida com uma natureza fraca e passiva, pois os golpes desta arte marcial podem causar sérios danos físicos ao agressor se forem realizados com essa finalidade.

No plano físico, o Aikidô melhora a capacidade aeróbica, a flexibilidade do corpo, resistência muscular e a coordenação de movimentos. No plano psicológico, permite a redução dos níveis de stress, melhora a concentração, disciplina e intuição de seus os praticantes.

 

 

Um pouco de história

O Aikidô é uma arte marcial japonesa que surgiu entre os anos de 1930 e 1960 pelo mestre Morihei Ueshiba (✶1883 ✝1969), a quem todos os praticantes apelidam de Ô-Sensei, o “Grande Mestre”.

Diz-se que o Aikidô nasceu em Iwama. O Fundador, Morihei Ueshiba, mudou-se em 1942 para essa aldeia e afirmou mais tarde que este local foi a “maternidade” do Aikidô. Mas o processo do nascimento do Aikidô foi lento e contínuo, tendo na verdade começado muito antes deste retiro do Fundador.

Em Iwama, O’Sensei, construiu um dojo e um templo. Dedicava-se à agricultura, à meditação e a um treino intensivo que poucos conseguiam aguentar. Esta simbiose era, para o Grande Mestre, a única forma verdadeira de seguir os estudos do Budo (Via Marcial). Assim Morihei Ueshiba consolidou toda a sua aprendizagem, criando o Aikidô.

Morihiro Saito, residente de Iwama, começou a praticar com O’Sensei aos 17 anos de idade. Sendo filho de agricultores, e o mais novo dos irmãos, pode dedicar muito do seu tempo ao Fundador e à prática da arte. A sua dedicação ao Budo em Iwama e ao seu Mestre foram sem limites.

Foi Saito Sensei que participou com o Fundador na codificação das bases do Aikido moderno. Uma grande parte das técnicas de Aikidô foram posteriormente sistematizadas por ele, como no caso das técnicas com armas.

Saito Sensei faleceu em 2002, tendo sido responsável pelo ressurgimento do pensamento marcial do Aikidô e pela preservação da técnica original que, ao longo dos anos e por diversas razões, fora sendo modificada. Toda a sua família participou deste estilo de vida tradicional, e como ele, os seus filhos praticaram Aikidô. O seu filho Hitohiro Saito, ele próprio aluno direto do Grande Mestre, assumiu o seu legado. Como sucessor foi preparado desde cedo através de uma educação muito estrita e tradicional.

Aikidô no Brasil

Faixa Preta de 8º grau, representante do Aikikai Hombu Dojo (quartel-general mundial do Aikidô, em Tóquio) no Brasil e países da América do Sul, Reishin Kawai (✶1930 ✝2010) introduziu o Aikido no Brasil em 1961. Com o título de Shihan (mestre em artes marciais) concedido pelo próprio Grão-Mestre Morihei Ueshiba em 1963, dedicou-se a divulgar o Aikidô e tornar melhor a vida das pessoas através desta arte.

Em 1979 Reishin Kawai, fundou a Federação Paulista de Aikido, ocupando o cargo de presidente por seis anos. No começo da década de 1990 resolveu renunciar e seus alunos mais antigos tomaram conta desta entidade. Foi então que ele fundou a Confederação Sul Americana de Aikidô, do qual foi presidente.

Todo ano, Kawai Sensei convidava professores do Hombu Dojo, para ministrar seminários com o objetivo de seus discípulos sempre estarem aperfeiçoando a técnica e manter assim o conteúdo e propósito do Aikidô, da maneira como o Doshu ( Senhor da Doutrina do Aikido – Mestre dos Mestres ) orienta. A vida toda Kawai Sensei honrou as direções e orientações do Doshu.